Na história da T.I., poucas tecnologias tiveram tão boa aceitação como a computação em nuvem. As primeiras empresas a utiliza-la foram Amazon, Google, IBM e Microsoft, abrindo caminho para a popularização do conceito e mostrando a cloud computing como ferramenta possível ao mercado. No Brasil, a oferta comercial iniciou em 2008 e só cresceu desde então.

Independente do tamanho ou segmento da empresa, a computação em nuvem traz benefícios como escalabilidade, dimensionamento de recursos, visão holística do sistema, além de conferir mais flexibilidade de trabalho e agilidade na prestação de serviços — tudo com um baixo custo de implantação e manutenção.

Para obter os resultados desejados por meio desta tecnologia, é necessário escolher a tipologia correta para seu modelo de negócio, já que temos uma série de possibilidades, como Iaas (Infraestrutura como Serviço), PaaS (Plataforma como serviço) e o mais amplamente utilizado no mercado, o SaaS (Software como serviço).

O modelo SaaS é muito interessante por diversos fatores. Um deles é que o fornecedor se responsabiliza por toda a estrutura necessária para o seu funcionamento – servidores, plataformas, atualizações de software. Ainda nesse ponto, os contratos também preveem cláusulas de confidencialidade das informações do cliente, nas quais a contratante tem plenos poderes sobre as informações armazenadas.

Sob o ponto de vista operacional, outros benefícios agregados podem impactar as rotinas de modo positivo ao se utilizar SaaS:

 

Portabilidade

Você pode acessar os dados e processos da sua empresa em tempo real e de qualquer equipamento, mesmo em dispositivos móveis como tablets e smartphones. Muitos softwares em nuvem já possuem aplicativos específicos para esses dispositivos, o que melhora a experiência de uso e torna o trabalho neles mais eficiente. Sob o ponto de vista de operacional, a vantagem está na capacidade de integrar vários setores correlacionados, como o administrativo e vendas ou engenharia e canteiro de obras, permitindo que questões se solucionem com rapidez.

Segurança

O uso de software como serviço representa mais segurança no tráfego dos dados. Primeiro, porque permite hierarquizar níveis de acesso, impedindo que informações confidenciais sejam divulgadas de forma arbitrária, por exemplo. Em caso de situações “catastróficas” no acesso local, as informações estão armazenadas em servidores fora, o que garante a integridade dos dados.

Economia

No sistema em nuvem a empresa paga apenas o valor equivalente ao plano escolhido, utilizando-o por meio de licenças. Para fazer uso do serviço, basta ter condições mínimas para o sistema rodar: um browser ou alguma instalação local – geralmente simples e leve – e uma conexão banda larga com a velocidade indicada. É possível iniciar com poucas licenças e ampliar o número conforme a necessidade e desejo.

Outro ganho econômico é que a prestadora do serviço é quem implementa as melhorias, atualiza o software e presta todo o suporte.

Competitividade

A computação em nuvem permite que as empresas utilizem sistemas de gerenciamento eficientes e econômicos, permitindo que elas foquem recursos e inteligência em seu core business. Com a diminuição da dependência das equipes de TI, elas podem priorizar frentes de trabalho que realmente vão agregar inovação ao negócio, tornando-os mais competitivos. O fato de prestar um serviço mais eficiente e ágil, melhora a qualidade do atendimento e, consequentemente, atrai mais leads.

 

Agora, antes de contratar uma solução em nuvem, mapeie as necessidades reais de sua empresa, pesquise bem as opções disponíveis no mercado e veja demonstrações de produto. Contratar esse tipo de serviço trará mudanças para sua operação, portanto prepare-se para elas.